Nós perderemos.

  
Dia de protesto na Av. Paulista e em outras capitais… Coxinhas X Petralhas… Golpistas X Democratas… Honestos X Corruptos… Certo. A voz é de quem a tem. Mas… o que você realmente sabe sobre tudo isso?

O que realmente é socialismo? O que é comunismo? O que é marxismo? O que é democracia? O que é impeachment? O que é política? O que é ser reacionário? O que é ser liberal? O que é ser pró PSDB? O que é ser pró PT? O que isso tudo significa?

Teorias… basicamente. A pergunta de um milhão de dólares é: você realmente conhece as teorias que professa? Será que não compramos uma causa frente àquilo que somos vendidos todos os dias por uma mídia que escolhe o que e como dizer?

De verdade, será que alguém efetivamente acredita que a volta da Ditadura Militar iria resolver qualquer problema por aqui? Será que um governo comunista resolveria algum?

De fato, eu penso que se cairmos em um governo direitista facista, eu e você comentando política partidária nesse momento estaríamos trocando receita de bolo. Se caíssemos num governo anarco-comunista, talvez estivéssemos trabalhando tempo o suficiente para não entrar no Facebook. Mas, isso tudo são conjecturas, porque, de fato, o que temos hoje, independentemente do partido é um tremendo estado de desgoverno. O país está sem rumo. E corremos um risco sério de achar que o Fulano ou o Beltrano seriam o salvador da Pátria. De novo…

O encanamento do governo está sujo. A água que entra limpa na Câmara – dos Deputados ou no Senado – saí podre. Não são simplesmente as pessoas, mas todo um sistema… que está apodrecendo desde a colonização. Não adianta apontar o dedo para um ou para outro. E saibam, alguém sempre vai perder.

Ultimamente, no nosso caso, quem quer que ganhe… nós perdemos. 

No entanto, estamos num país livre, certo?

Não importa se quem mata é Stalin ou Pinochet. O totalitarismo é ruim e quem perde, acaba ganhando voz e querendo combater sangue com sangue. Até quando? Será que precisamos mesmo ler frases como “Por que não mataram todos em 1964?” ou “Kim Jong-Un inventou o hambúrguer”…

O caso é que estudar História e Filosofia nos ajuda a encontrar um lado. O que não podemos nunca esquecer é que Ela é sempre contada pelo lado do vencedor.

E quem perde? Somos sempre nós, cara pálida. Sempre nós. Os distantes dos privilégios do poder.

“Poder é poder”, já diria Cersei Lannister, em Game of Thrones. Teoricamente, de novo, a teoria, qualquer um pode chegar no poder (governamental, por assim dizer). É o que o a democracia prega. Agora, o que nos garante que os nossos próprios passos, nessa passarela do poder, não corroeria nossos pés, chegando às mãos, à cabeça e à boca.

O que acaba com tudo, são as pessoas. O seu jeito de dar um “jeito” em tudo. Em ser enveredado… enredado… preso… Em ter tudo e ser escravo desse todo. Em determinadas posições, todo mundo corre o risco de tornar-se perigoso. Que pena.

Não tenho como propor uma saída. Nem sei se há uma. E temos de lidar com o que temos… Mas, uma coisa eu digo, sem medo de errar, de mim, nunca saíra uma atenção a misóginos, belicistas ou homofóbicos. Extremistas. Fundamentalistas.

Acho que está bom por hoje… E sim, eu sei que pode parecer um tremendo texto de quem está em cima do muro. O lance é que não importa para que lado você olha… a coisa fede.

Pietra

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s